6 Dicas de Finanças Pessoais – Como Se organizar Financeiramente

By | 23 de agosto de 2017

Hoje, eu vou te mostrar 5 dicas práticas para você organizar as suas finanças pessoais. Portanto, se você deseja sair do vermelho ou quer destinar parte dos seus ganhos para investir em alguma aplicação financeira, esse texto vai te ajudar bastante.

Dicas de Finanças Pessoais

Imagem: pmpf.rs.gov.br

Queria deixar claro que eu não apenas falo sobre essas dicas, como eu também aplico elas na minha vida financeira, o que vem me permitindo ir criando, pouco a pouco, ir criando uma reserva de dinheiro que pode ser utilizada em uma emergência e também acumular dinheiro para complementar a minha aposentadoria, pois não sabe o futuro do INSS…

Organizando as suas finanças pessoais

  1. Reserve um dia para se organizar
  2. Poupe SEMPRE
  3. Estabeleça seus objetivos
  4. Invista e multiplique o seu dinheiro
  5. Evite ao máximo comprar algo parcelado
  6. Livre-se das tarifas de bancos e cartões de crédito

1 – Reserve um dia para se organizar financeiramente

Bom, esse é o primeiro passo que você seguir. Defina agora um dia, onde todo o mês você deverá sentar e colocar no papel toda a sua vida financeira. O ideal, é que você faça um balanço de todo o dinheiro que você gastou, todos os custos que você teve no mês e o quanto sobrou.

Lembre-se, você não deve gastar tudo o que sobra com coisas supérfluas, como vou explicar no tópico 3, você sempre deve poupar uma parte dos seus ganhos.

Em breve, estarei disponibilizando uma planilha de gastos mensais e também um texto sobre aplicativos para vão te ajudar a colocar esses dados de uma forma bem organizada.

2 – Poupe Sempre

Isso mesmo, faça o possível para poupar no mínimo de 10% a 15% do seu salário. Quanto mais novo você começa a poupar, maior o patrimônio e juros acumulados você irá receber com o tempo.

Se você não consegue poupar pelo menos 10% do seu salário, então você precisa olhar para os seus gastos mensais e ver algo que você pode cortar, caso não consiga, recomendo que você se esforce para ganhar mais dinheiro, seja atuando em outra área para conseguir uma renda extra ou melhorando os seus ganhos no emprego atual.

3 – Estabeleça Objetivos

Você tem um grande sonho a realizar? Você quer juntar grana para comprar ma casa, um automóvel, uma viagem, para complementar a aposentadoria? Você deve estabelecer um objetivo, para assim saber o quanto você precisa poupar e quando vai conseguir atingir o montante necessário.

4 – Invista e Multiplique o seu dinheiro

Organização Financeira

Imagem: prefeituradegoias.go.gov.br

Agora você já sabe que deve poupar todos os meses, precisa decidir onde você vai investir e multiplicar o seu dinheiro. Primeiro queria dizer que o mínimo que você deve fazer é deixar o seu dinheiro na poupança, ou seja, nada de guardar dinheiro em casa ou na conta corrente. Apesar dos rendimentos da poupança não serem atrativos, pelo menos eles estarão rendendo um “bocadinho” todos os meses, diminuindo o efeito da inflação.

O primeiro passo do investir iniciante é o Tesouro Direto, onde o governo disponibiliza títulos públicos, que podem ser comprados e te garantirão uma porcentagem em rendimentos. Você pode conhecer o curso de tesouro direto, que é o que eu indico para os meus leitores. Eu mesmo tenho maior parte do meu dinheiro investido no Tesouro Direto (Site Oficial).

Paralelamente ao tesouro direto, existem outras formas um pouco mais arriscadas, mas ainda seguras para o pequeno e iniciante investidor como: LCIs, LCAs, LCs, CDB, que resumidamente, são títulos privados emitidos por instituições privadas.

5 – Compre sempre à vista

Sempre que possível, opte pelo pagamento à vista, isso porque as empresas que vendem o serviço/produto repassam os custos de parcelamento ao comprador. Ou seja, quanto mais parcelas você divide a compra, maior será o valor pago, pois você estará pagando os juros mensais embutidos nas parcelas.

A minha dica ( e de todo especialista em finanças ) é, sempre que possível, aguarde e compre o que você quer à vista.

6 – Livre-se das tarifas bancárias e cartões de créditos

Eu não pago nenhuma taxa para manter a minha conta corrente aberta e também nenhuma taxa para ter um cartão de crédito. Se você tem uma conta aberta em algum banco, procure no seu extrato algum débito mensal ( geralmente consta como cesta de serviços ) e verá que o banco de cobra geralmente entre 15 a 30 reais mensais.

Caso você não faça mais do que 4 saques por mês, 2 extratos por mês não imprima mais de 10 cheques por mês, você está pagando esse valor à toa, isso porque você pode optar pela cesta de serviços essenciais, totalmente gratuita.

O banco central dispõe de uma página onde ela explica mais sobre a cesta de serviços essenciais, onde todo banco é obrigado a oferecer esse tipo de conta, ou seja, não há nenhuma tarifa bancária descontada mensalmente ( veja aqui ). Vale lembrar que ela tem algumas limitações, por isso vale a pena conferir se ela te atende ( geralmente, ela atende a maioria das pessoas ).

Ao optar por essa cesta de serviços, você vai estar economizando entre R$180,00 a R$360,00 por ano!

Cartão de Crédito sem anuidade

Eu nunca paguei sequer uma anuidade uma operadora de cartão de crédito. Recomendo também que você procure opções gratuitas como o Nubank e o Digio.Salvar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *